A Amazon e os livros escolares

Publicado em 05/12/18

Pela sua maior parte, onegócio da tecnologia K-12 tem-se desenvolvido à volta da Apple, Google e Microsoft. Um dos maiores jogadores, que tem sido inexistente até ao momento, neste caldo é a Amazon. Apesar da Amazonter o seu serviço Whispercast, não tem havido novas questões sobre este serviço presentemente e o mesmo não aparenta ter grande influencia de mercado.

O mercado da educação na tecnologia é um que tem muitas oportunidades de expansão, uma vez que existem agora apps que premeiam os alunos por se concentrarem.

Todos os Sábados, Bradley Chambers publica um novo artigo sobre a Apple na educação, uma vez que o mesmo tem feito a gestão de vários aparelhos da Apple em ambiente educacional desde 2009.

Através da sua experiência em lançar e gerir centenas de Macs e iPads, Badley levantou à uns meses atrás o porque de oslivros de exercícios e manuais escolares nunca terem sido lançados em iPad. Bradley Chambers mencionou que não era um problema de falta de apoio técnico que impedia o iPad de entrar neste negocio, mas um problema do mercado. Quando os livros fossem lançados num dispositivo, a licença da escola era perdida. A situação tornou até os livros escolares de $14.99 mostrarem-se como caros quando tem de ser recomprados todos os anos (as escolas publicas são donas dos livros em formato físico e emprestam-nos aos alunos). A economia do negócio à volta do livro escolar levou este mercado a tornar-se relativamente estagnado no K-12.

A Amazon, no entanto, já é a principal empresa da venda de eLivros, e continua a crescer. No início deste ano, tinha uma share de 83% por unidade de volume, o que quer dizer que subiu desde os 74% em 2015. A parte deste mercado da Apple é de apenas 10% em 2015, e desceu para baixo desse valor o ano passado.

Apesar do interesse renovado da Apple nos livros em iOS 12, a Amazon não parece tirar o pé do pedal no que se refere ao domínio em eLivros. O Kindle Paperwhite é a melhor maneira de ler eLivros, em iOs e Android, enquanto a Apple se mantém apenas no domínio do iOS. A Amazon não criou o mercado dos eLivros mas é a única companhia que importante neste mercado para os consumidores e as Fire tablets apesar de não terem a qualidade de um iPad, tem grande valor a nível do mercado lowcost. A Amazon oferece uma tablet por $30 e outra por $50 e ambas vem pré programadas com a Kindle app. Esta tabela de preços gera a questão de que se as escolas quisessem um dispositivo dedicado à leitura de eLivros, $30 é um preço fantástico.

Se a Amazon e as escolas fizessem um acordo com as suas tablets low-cost o oPad, que custa$300 seria considerado um artigo de luxo, apesar de desempenhar tarefas para além de ser um dispositivo de eLivros.

Seria então interessante considerar como é que o mercado dos eLivros poderia emergir com o mercado dos manuais escolares, uma vez que tanto os alunos como a Amazon poderiam beneficiar destas transações.

Veja outros posts

Dicas de preparação para o Vestibular e Enem

Calendário dos Vestibulares

ACESSO RÁPIDO

CALENDÁRIO DO VESTIBULAR | TESTE VOCACIONAL ONLINE | SIMULADOS ONLINE | SIMULADOS DO ENEM | GUIA DE FACULDADES