Relações Internacionais - informações sobre mercado de trabalho e descrição da profissão Relações Internacionais

Relações Internacionais

Num mundo em que as ligações entre países e pessoas estão cada dia mais estreitas, especializar-se em um universo que envolve negócios, intercâmbio cultural e diplomacia significa enfrentar desafios complexos.

No atual processo de internacionalização, as empresas querem especialistas que saibam lidar com a diversidade dos países, já que o curso de Relações Internacionais envolve a condução das relações entre nações nas áreas política, econômica, social, militar, cultural, comercial ou de direito.

O bacharel em Relações Internacionais realiza contatos com outros países, sonda mercados externos, auxilia na elaboração de acordos bilaterais ou multinacionais, na correspondência entre nações e prepara textos e documentos de análise, presta assessoria para embaixadas, consulados, empresas e entidades de diversos setores sócio-econômicos, podendo assumir as funções de conselheiro, assessor, secretário ou intermediário em órgãos públicos, empresas privadas ou entidades não- governamentais.

Um exemplo da atuação profissional em Relações Internacionais é o assessor da área sindical, procurando soluções para enfrentar problemas econômicos e trabalhistas que possam ser causados pelo Mercosul. A entrada dos produtos argentinos no mercado brasileiro prejudica a venda da produção nacional. Em função disso, empresas podem quebrar, muita gente pode ficar sem emprego e temos que nos preparar para isso. Com esse objetivo, o assessor se informa sobre a situação política, econômica, trabalhista e sindical dos países que integram o Mercosul, faz a "ponte" entre sindicatos nacionais e estrangeiros, informa-se a respeito da legislação nos outros países e sugere medidas a serem defendidas pelos sindicalistas.

Domínio de línguas estrangeiras, boa capacidade de expressar idéias, habilidade em negociar, sociabilidade, raciocínio numérico rápido, criatividade, desembaraço, cultura geral e disponibilidade para viagens são requisitos da profissão.

Campos de atuação: Órgãos Públicos, Empresas Privadas, Entidades Não­ Governamentais, Embaixadas, Consulados, Agências de Desenvolvimento, Universidades, Entidades Empresariais e Sindicais, Partidos Políticos, Bancos, Órgãos de Desenvolvimento e Comunicação, Organizações Internacionais.

Especializações: Pesquisa, Assessoria em Áreas Técnicas, Diplomacia, Ensino.

Veja o texto de outras profissões

Faça agora o teste vocacional online e gratuito!

PARTICIPE DO SIMULADÃO ONLINE E PREPARE-SE PARA O VESTIBULAR

Receba dicas desta profissão no seu email

RECOMENDAMOS

Anhembi Morumbi FMU Universidade São Francisco Redentor ISPED FECAP Univaço ITPAC Católica-TO
FAQUI FAJOP uniptan FIPECAFI Drummond Drummond Católica-TO EPD IESVAP

ACESSO RÁPIDO

CALENDÁRIO DO VESTIBULAR | TESTE VOCACIONAL ONLINE | SIMULADOS ONLINE | PLANO DE HORÁRIO DE ESTUDOS - PHE | DATAS DO ENEM 2017
->

DESAFIO DO DIA - SIMULADO ONLINE DIÁRIO

(UEMG 2013) O Absolutismo como forma de governo esteve presente na península Ibérica, na França e na Inglaterra, tendo impactado e influenciado as maiores economias de seu tempo. Seus pensadores mais conhecidos e suas teorias foram:

O Absolutismo como forma de governo esteve presente na península Ibérica, na França e na Inglaterra, tendo impactado e influenciado as maiores economias de seu tempo. Seus pensadores mais conhecidos e suas teorias foram:
Nicolau Maquiavel e a teoria do Contrato; Thomas Hobbes e a teoria da supremacia do Rei como representante divino; Jacques Bossuet e Jean Bodin, que defenderam a subordinação do indivíduo ao Estado.
Maquiavel, Jacques Bossuet e Jean Bodin, cujas teorias só se diferenciaram na aplicabilidade teológica, bem como Thomas Hobbes, que preconizou o indivíduo como senhor de seus direitos.
Maquiavel e Thomas Hobbes, que conceberam o Contrato Social, Jacques Bossuet, que estabeleceu o conceito de individualismo primordial, e Jean Bodin, que defendeu a primazia da esfera governamental.