Terapia Ocupacional - informações sobre mercado de trabalho e descrição da profissão Terapia Ocupacional

Terapia Ocupacional

De início, Terapia Ocupacional era sinônimo de atendimento a portadores de deficiência física e problemas psiquiátricos. Houve, recentemente, uma ampliação de conceito: a Terapia Ocupacional passou a abranger todas a faixas etárias e grupos populacionais considerados marginalizados e estigmatizados. Exemplos: deficientes mentais, visuais, auditivos, menores carentes, idosos e detentos.

O Terapeuta Ocupacional é o profissional que faz uso específico das diversas modalidades de atividade humana como: Teatro, música, dança, artes plásticas, artesanato, jogos e brinquedos, trabalho profissional e auto manutenção, entre outros, com o propósito de manter, promover e recuperar a Saúde. Através da relação entre terapeuta, paciente e atividade a Terapia Ocupacional procura levar o indivíduo a encontrar formas mais gratificantes de vida, seja nos pequenos grupos, seja na sociedade em geral.

Campos de atuação: O mercado de trabalho é composto por todos os serviços de Saúde, Centros de reabilitação, escolas especializadas, ambulatórios e clínicas, centros de Saúde, hospitais gerais e/ou especializados, centros comunitários, presídios, ou quaisquer locais onde se pretenda melhorar a convivência e torná-la mais saudável e produtiva; além de poder trabalhar ainda como docente em cursos de graduação de Terapia Ocupacional e administração de serviços de Saúde.

Veja o texto de outras profissões

Faça agora o teste vocacional online e gratuito!

Receba dicas desta profissão no seu email

RECOMENDAMOS

Anhembi Morumbi FMU Universidade São Francisco Redentor Redentor Redentor ISPED FAGOC IMEPAC UNIFAN Newton Paiva

ACESSO RÁPIDO

CALENDÁRIO DO VESTIBULAR | TESTE VOCACIONAL ONLINE | SIMULADOS ONLINE | PLANO DE HORÁRIO DE ESTUDOS - PHE | DATAS DO ENEM 2017
->

DESAFIO DO DIA - SIMULADO ONLINE DIÁRIO

(Vestibular FEI/2012) "Para responder à questão, leia o texto a seguir: Não foi manifestação esporádica de pequenos grupos de escravos marginais, desprovidos de consciência social, mas um movimento que atuou nos centros do sistema nacional, permanentemente.(MOURA, C. Resistência ao Escravismo. São Paulo: Ática, 1993, p. 31). O texto se enquadra na definição de:"

candomblé
quilombo
mocambo
senzala
maracatu