Pérolas do Vestibular

Confira os absurdos escritos por alguns alunos nas provas dos vestibulares

Pérolas do Vestibular
Publicado em 30/05/06

Pois é...o vestibular está aí! Nessa época milhares de candidatos, ao se esforçarem para se expressar da melhor maneira, acabam escrevendo verdadeiras "aberrações" nas provas!

Parte dessas barbaridades ditas nas provas de vários vestibulares do Brasil, e que também são chamadas de "pérolas dos vestibulares" foram coletadas pelo Prof. José Ismael Pirágine (no livro "Como é que é?" Editora Símbolo).

Separamos algumas delas para você conferir (e morrer de rir). Esperamos que no próximo ano, essa lista não aumente!

História

- A finalidade das Cruzadas era passear pelo deserto em busca de aventuras.

- Anchieta ficou como refém entre os índios, lá ele escreveu o poema à VirgemLuís - Alves de Lima e Silva pela sua bravura recebeu o nobre título de "Caxias".

- Com o descobrimento da bússola, os marinheiros puderam se afundar no mar.

- Antigamente, antes da invenção da imprensa, a leitura era sacrilégio dos ricos.

- A luta de classes entre os romanos foi a maior luta de todos os tempos.

- Os índios brasileiros tinham medo dos animais domésticos; eles só gostavam de animais ferozes.

Geografia

- As raças têm muita diferença entre si: assim uns têm nariz chato, outros igual de papagaio, outros arrebitados, etc.

- Horizonte é onde que parece que é o fim do mundo.

- O horizonte é até aonde a nossa vista alcança e conforme a gente vai andando ele também vai.

- A Terra é um dos planetas mais conhecidos do mundo.

- O Brasil é um dos países mais intensos do mundo.

- A alimentação é o meio de digerirmos o corpo.

- Influência do meio sobre o homem: exemplo - o fato de uma pessoa estar rindo e a colega não sabendo porque a outra ri, põem-se a rir também, é a influência.

Matemática

- Ângulo é duas linhas que vão indo e se encontram.

- Triângulo são os filhos trigêmeos do ângulo.

- Tangente é quando a bola passa raspando no jogo de futebol. Ela também tem o nome de trave.

- Conjunto vazio é aquele em que os músicos não sabem nada de música e tocam "na orelhada".

Português

- Objeto direto é quando a gente ganha um presente diretamente da pessoa que dá; e indireto, a pessoa não pode entregar e manda outro dar.

- Sujeito é a pessoa com quem estamos falando.

- Preposição é quando uma pessoa coloca um objeto antes de a gente mandar.

- Artigo é qualquer tipo de mercadoria. Assim, quando vamos a uma loja e o balconista quer vender mesmo, ele diz assim: "Este artigo é o melhor da praça".


Destaque-se no mercado de trabalho ingressando na Mauá com a Nota do ENEM. Inscreva-se agora!

EM DESTAQUE NO SEJABIXO:

ACESSO RÁPIDO

VESTIBULARES COM INSCRIÇÕES ABERTAS | TESTE VOCACIONAL ONLINE | SIMULADOS ONLINE | VESTIBULAR FECAP 2017

DESAFIO DO DIA - SIMULADO ONLINE DIÁRIO

(Fuvest 2013) Fosse com militares ou civis, a África esteve por vários anos entregue a ditadores. Em alguns países, vigorava uma espécie de semidemocracia, com uma oposição consentida e controlada, um regime que era, em última análise, um governo autoritário. A única saída para os insatisfeitos e também para aqueles que tinham ambições de poder passou a ser a luta armada. Alguns países foram castigados por ferozes guerras civis, que, em certos casos, foram alongadas por interesses extracontinentais. (Alberto da Costa e Silva. A África explicada aos meus filhos. Rio de Janeiro: Agir, 2008, p. 139.) Entre os exemplos do alongamento dos conflitos internos nos países africanos em função de interesses extracontinentais, a que se refere o texto, pode-se citar a participação:

da Holanda e da Itália na guerra civil do Zaire, na década de 1960, motivada pelo controle sobre a mineração de cobre na região.
dos Estados Unidos na implantação do apartheid na África do Sul, na década de 1970, devido às tensões decorrentes do movimento pelos direitos civis.
da França no apoio à luta de independência na Argélia e no Marrocos, na década de 1950, motivada pelo interesse em controlar as reservas de gás natural desses países.
da China na luta pela estabilização política no Sudão e na Etiópia, na década de 1960, motivada pelas necessidades do governo Mao Tse-Tung em obter fornecedores de petróleo.
da União Soviética e Cuba nas guerras civis de Angola e Moçambique, na década de 1970, motivada pelas rivalidades e interesses geopolíticos característicos da Guerra Fria.