Fui mal no primeiro dia do Enem 2019. E agora?

Desde que passou a ser realizado em dois domingos, em 2017, o Enem gerou uma dor de cabeça a mais para os candidatos. Encontrar gente falando: “Fui mal no primeiro dia do Enem 2019. E agora?” será uma situação muito comum durante esta semana que antecede a segunda aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio.

Será que é melhor desistir do Exame? Será que devo mergulhar a cabeça nos livros? Primeiramente, lembre-se que a nota do Enem não é calculada pela Teoria Clássica dos Testes (TCT), que segue o princípio de que quanto mais itens um estudante acerta, maior é o seu conhecimento, mas sim pela TRI (Teoria de resposta ao Item) que tem como base o item, não a totalidade da prova. Ou seja, acertar 50% dos itens em uma avaliação não significa que a nota do aluno é igual a 50%: tudo depende de quais foram os itens respondidos, de acordo com os demais candidatos também.

Assim, ao conferir o gabarito extraoficial do Enem, já que o gabarito oficial só sai no dia 13 de novembro, você terá apenas uma referência da sua performance. Não dá para falar que foi mal na prova, assim como também não dá para cravar que foi bem.

Considere também que ter feito uma boa redação pode alavancar sua nota, uma vez que a ela é a única prova que permite que o candidato tire a nota máxima independente do desempenho dos outros inscritos.

Outro ponto importante é que 1,2 milhão de inscritos não compareceram para fazer a 1ª prova do Enem 2019. Automaticamente, você já passou quase 1/4 dos candidatos.

O negócio é recuperar o ânimo, montar um plano de estudos para a semana e ir com tudo para a segunda prova. Nada está perdido!