Resultado do ENEM e vestibular começa a ser construído agora

A estudante Maria Eduarda Martins, de Joaçaba (SC), viu sua nota na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), subir de 720 para 980 pontos de um ano para o outro. Quando estava na 2ª série do Ensino Médio ela fez a prova para medir o desempenho e recebeu um alerta: era preciso praticar e aprofundar mais. O resultado veio no ano seguinte, com uma das notas mais altas do estado de Santa Catarina.

O segredo para chegar a esse resultado foi dedicação e muito estudo. Além da grade curricular no Colégio Marista Frei Rogério, Maria Eduarda dedicou o período de contraturno a aulas de aprofundamento e oficinas de redação. “Praticar ao longo de todo o ano foi essencial para meu desempenho. Ler e escrever diferentes gêneros literários me preparou para o momento da prova”, comentou. “Treinar a argumentação, correlação de informações e ideias, praticar o planejamento do texto me ajudou muito na hora de fazer a redação do ENEM de forma mais segura”, conta a aluna, que agora é caloura do curso de Enfermagem.

A professora de redação do Colégio Frei Rogério, Nilva Ouriques, que acompanhou a aluna desde o primeiro ano do Ensino Médio, conta que a preparação é a longo prazo. “Trabalhamos muito com textos dissertativos e debates em sala de aula para que sejam incentivadas as capacidades de argumentação e contraposição, desenvolvendo uma lógica de pensamento”, diz.

Atividades como esta, ressalta a professora, ajudam o estudante a aprender capacidades que farão a diferença no momento de estruturar o projeto de texto. Assim, na hora do exame, que exige um tempo limitado para o término da redação, o estudante estará mais preparado para escolher uma abordagem e desenvolver uma justificativa interessante.

O coordenador do Ensino Médio do Colégio Frei Rogério, Robinson de Vargas, explica que as aulas de aprofundamento acontecem durante duas horas, uma vez por semana. O objetivo é oferecer um reforço de conteúdos que busca consolidar temas específicos, desenvolvendo níveis mentais mais complexos.

“Procuramos não sobrecarregar os estudantes para que o conteúdo do currículo normal seja bem absorvido. A aula de aprofundamento vem para fortalecer disciplinas pontuais e sanar questões específicas de alunos que querem tentar provas mais concorridas no País”, explica. Nesta proposta, há uma mudança na dinâmica do aprendizado, pois o professor cumpre o papel de mediador. “Os alunos se reúnem em pequenos grupos para fazer exercícios de aprofundamento e aprenderem juntos. O professor apenas conduz a atividade e direciona os questionamentos para que eles sejam os protagonistas”, conclui Vargas.

Tags: