Siga-nos!

Notícias dos Vestibulares e Enem

Violência no ambiente escolar é menor no Ensino Médio Integral

Pesquisa aponta que, pela visão dos educadores, a ampliação da carga horária e os pilares do Ensino Médio Integral estão relacionados às menores taxas de violência nas escolas

Publicado

em

Obras obrigatórias 2022: Poliedro lista 5 dicas para estudar livros indicados

Estudantes estão mais seguros nas escolas públicas de Ensino Médio Integral (EMI). As instituições registram menos episódios de violência em relação aos colégios com ensino médio regular. Essa constatação é da pesquisa realizada pelo Instituto Sonho Grande, “Percepção da violência no ambiente escolar: análise das escolas integrais e regulares”, que avaliou a perspectiva dos gestores e dos professores em relação ao assunto. O estudo verificou que o índice de violência geral chega a ser 8,6% menor e o índice de violência velada 13,5% inferior, em relação às escolas que não são integrais.

A violência geral inclui a violência explícita, com atentados à vida, roubos e agressões físicas, e a violência velada, que diz respeito às ameaças, ao consumo de drogas e à presença de armas. Os dados foram divulgados no início de dezembro, a partir da análise de informações do Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB 2019/INEP).

A publicação destaca que a violência é um problema grave e sistêmico no Brasil. De acordo com o Atlas da Violência (Ipea 2020), entre os jovens, a situação é ainda mais preocupante: o homicídio é a principal causa de morte de pessoas entre 15 e 29 anos. Em 2018, 53% das vítimas eram jovens, totalizando 30.873 vidas perdidas nessa faixa etária, com maior concentração entre os negros.

“Um ambiente escolar violento traz consequências negativas, como maiores taxas de absenteísmo, abandono e evasão, rotatividade entre professores e gestores, mais dificuldade de concentração e piores níveis de aprendizado e desempenho acadêmico”, registra o documento do Instituto Sonho Grande.

Para entender qual é a diferença nos níveis de violência observados nas unidades de ensino médio regular frente às de Ensino Médio Integral, o estudo comparou escolas parecidas em várias dimensões (como infraestrutura, número de estudantes, desempenho no Ideb) com a principal diferença sendo o tipo de ensino ofertado. Também buscou observar se existe distinção no nível de violência entre as escolas que aumentam a carga horária com atividades complementares e aquelas que ampliam a jornada escolar para conseguir implementar um modelo pedagógico de ensino integral.

Outros dados da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE/ IBGE) revelaram que a proporção de estudantes que faltaram às aulas por se sentirem inseguros dentro da escola passou de 5,5% em 2009 para 9,5% em 2015. Para os gestores, a violência, o medo e a insegurança também fazem parte da realidade vivenciada. Informações do Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB 2019/INEP) mostram que 46,3% dos gestores da rede pública do Ensino Médio registraram a ocorrência de eventos violentos no ambiente escolar, entre eles atentados à vida, roubos com uso de violência ou mesmo ameaças a profissionais por algum estudante.

Ampliação da carga horária e qualidade da educação x redução da violência escolar

A pesquisa ainda avaliou que grande parte da literatura sobre os impactos de curto prazo da educação na violência se preocupa mais com a quantidade de horas que os jovens passam na escola do que com a qualidade desse tempo. Na contramão, os resultados do estudo sugerem que, para reduzir a violência e os comportamentos de risco entre jovens, é mais importante avaliar como o tempo adicional é utilizado, e não apenas ampliar a carga horária.

Investir em um modelo educacional que promove maior aprendizado, com foco no desenvolvimento socioemocional e melhoria do clima escolar entre estudantes, professores, equipes gestoras, família e comunidade, como é o caso da proposta do Ensino Médio Integral, tende a diminuir a probabilidade de que os jovens se envolvam em atividades violentas dentro das escolas.

O currículo do modelo integral centrado no Projeto de Vida dos estudantes, bem como suas expectativas e sonhos para o futuro, tem apresentado resultados positivos em termos de desempenho acadêmico e perspectivas futuras, com maiores taxas de ingresso na educação superior e maior renda. Fatores que podem contribuir para que o jovem acredite nos retornos futuros maiores de uma educação pública de qualidade, desincentivando assim o envolvimento em atividades violentas.

Sobre o Ensino Médio Integral

O Ensino Médio Integral é uma proposta pedagógica multidimensional e moderna. A partir de um modelo de ensino que se conecta à realidade dos jovens e ao desenvolvimento de suas competências cognitivas e socioemocionais, propõe a formação integral dos estudantes.

Entre os pilares trabalhados pelo EMI, estão: tutoria, nivelamento, protagonismo juvenil – com a criação de clubes juvenis e líderes de turma – acolhimento, além de componentes curriculares específicos, como orientação de estudos e práticas experimentais, que promovem a formação completa do estudante, junto às disciplinas tradicionais já previstas.

Em todo o Brasil são cerca de 3720 escolas no modelo e 778 mil estudantes. A modalidade apresentou crescimento exponencial no último IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), reforçando sua assertividade. Os índices de desempenho e rendimento também surpreendem. Enquanto a média nacional do IDEB foi de 3.9 pontos, o Ensino Médio Integral atingiu 4.7 pontos na média nacional, superando a meta Brasil de 4.6 pontos. Apesar de acumular os melhores resultados do Ensino Básico, o modelo, que promove a formação integral e cidadã dos jovens, ainda é pouco conhecido.

Destaque

Vestibular de Medicina Unifenas tem inscrições prorrogadas até 30/5

São oferecidas 210 vagas para ingresso no segundo semestre de 2022, sendo 80 em Alfenas e 130 em Belo Horizonte.

Publicado

em

por

Vestibular de Medicina Unifenas 2022/2

As inscrições para o Vestibular de Medicina da Unifenas foram prorrogadas até o dia 30 de maio. São oferecidas 210 vagas para ingresso no segundo semestre de 2022, sendo 80 em Alfenas e 130 em Belo Horizonte.

As inscrições devem ser feitas no site: www.unifenas.br/vestibular.

Os candidatos encontram 4 modalidades de ingresso:

1 – Enem – É aceita a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2009 a 2021, sem a necessidade de participar do vestibular. Metade das vagas serão preenchidas nesta modalidade.

2- Prova Tradicional – O exame está marcado para o dia 4 de junho, das 13 às 18 horas, nas cidades de Brasília/DF, Campinas/SP, Curitiba/PR, Goiânia/GO, Ribeirão Preto/SP, São Paulo/SP, Uberlândia/MG, Vitória/ES e nos câmpus da UNIFENAS em Minas Gerais: Alfenas, Belo Horizonte, Campo Belo, Divinópolis, Poços de Caldas e Varginha. O local escolhido para a realização das provas do vestibular independe da cidade em que o curso será ministrado. Metade das vagas serão preenchidas nesta modalidade.

3- Prova Tradicional + Enem – Nesta modalidade o candidato poderá se inscrever nas duas modalidades para concorrer às vagas de Medicina nos câmpus de Alfenas e/ou Belo Horizonte, aumentando suas possibilidades.

4- Prova Tradicional Unificada + Enem – O candidato irá optar na prova Tradicional, em ordem de preferência (1ª e 2ª opção), entre os cursos de Medicina oferecidos pelo câmpus de Alfenas e pelo câmpus de Belo Horizonte. A convocação, em 2ª opção, será realizada somente após as etapas para classificação e convocação dos inscritos em 1ª opção. Pelas notas do ENEM (2009 a 2021), o candidato fará duas inscrições, sendo uma para cada câmpus.

Continue lendo

Notícias dos Vestibulares e Enem

UNIFBV realiza vestibular neste sábado (dia 28)

A UNIFBV | Wyden realiza o ClickVest, um vestibular totalmente online e de inscrições gratuitas.

Publicado

em

por

Vestibular UniFBV Wyden supervestibular

A UNIFBV | Wyden realiza o ClickVest, um vestibular totalmente online e de inscrições gratuitas. A prova será realizada no próximo sábado, 28, e a previsão do resultado sai em até 48h.

O candidato pode obter condições especiais válidas apenas para os cursos EAD: mensalidades a partir de R$99,00 em todas as unidades e polos Wyden espalhados pelo Brasil.

Para mais informações, acesse o link www.wyden.com.br/unifbv.

Continue lendo

Destaque

5 dicas para se preparar para os vestibulares de inverno

Publicado

em

por

5 dicas para se preparar para os vestibulares de inverno

A necessidade de estudar e revisar tudo o que foi aprendido em cada disciplina é cada vez maior como forma de se preparar para os próximos vestibulares de inverno. Os estudantes precisam estar bastante focados e bem preparados para encarar a maratona de provas e, dessa forma, ingressar no tão sonhado ensino superior. Por outro lado, nem todos os alunos têm a oportunidade de frequentar um cursinho presencial, por conta de diversos fatores. O principal deles é o alto custo das mensalidades, horários das aulas, trajeto até o local, além de outras despesas.

Uma alternativa para contornar essas dificuldades são os cursos online disponíveis por meio de grandes plataformas digitais na internet, que oferecem uma educação de qualidade e bem acessível. Por meio da tecnologia, os “professores influenciadores” mais conhecidos pelo público estão reunidos em um único espaço virtual. Isso possibilita o aprendizado de uma forma fácil e prática, sem que o aluno precise sair de casa, com horários mais flexíveis, além de terem uma linguagem simples e bastante didática.

Para o professor e influenciador Michel Arthaud, da Plataforma Professor Ferretto, os preparativos feitos de forma online para os vestibulares têm vários benefícios. “As aulas online trazem diversas vantagens porque o estudante consegue fazer o próprio cronograma de estudos sem sair de casa tornando-se protagonista do seu ensino. Esse aluno conta com diversos materiais, vasto conteúdo e um grupo de professores altamente qualificados para atender a todas as matérias”, diz.

Muito ativo nas redes sociais, o professor Michel também tem o canal do Youtube Café com Química, que mantém mais de 110 mil inscritos e seguidores. Desde 2020 ele uniu forças com outros importantes docentes/influenciadores que também fazem parte do time de professores da Plataforma Professor Ferretto. Essa união ocorreu para oferecer cursos completos em um único universo virtual. Tudo isso, com qualidade e oferecendo um custo/benefício bem acessível aos estudantes com um orçamento mais apertado.

Abaixo, o professor destaca cinco dicas essenciais para que os alunos estudem online para as provas do vestibular de inverno, que acontecem no meio do ano e, sobretudo, para o ENEM que deve ser realizado em novembro:

Organize-se e crie uma rotina de estudos

Para estudar online, é fundamental que o estudante seja organizado e tenha disciplina. Para isso, é preciso que ele crie uma rotina de estudos e consiga equilibrá-la com outros compromissos e atividades, como o lazer, que também é essencial no dia a dia.

“Trace um cronograma, faça planos, definindo as tarefas de maneira específica, com data e horas de estudo marcadas para cumpri-las, e siga esse plano à risca. Eu acredito muito que, quando colocamos um prazo certo para determinada atividade, nossa produtividade aumenta”, explica o professor Michel.

Analise as condições do ambiente de estudo

O ambiente é um fator muito importante na hora de estudar. Tudo ao redor impacta na concentração do aluno e, consequentemente, no rendimento. No caso do estudo online, além de ser necessário ter acesso à internet, é preciso que o local seja tranquilo, tenha uma estrutura adequada e com boa iluminação.

“Quem estuda em casa, deve procurar um lugar reservado e combinar com seus familiares ou outras pessoas que frequentem o mesmo ambiente, para que evitem interrupções durante o horário de estudo. Além disso, nada de estudar com a TV ligada, música ao fundo, celular com o som alto e com mensagens apitando a todo instante, ou qualquer outro fator que irá tirar a sua concentração”, alerta.

Tenha foco e saiba o que cairá nas provas

Para uma rotina de estudos dar certo, além de um bom cronograma, é necessário ter muito foco e concentrar-se especificamente naquilo em que estiver revisando.

“Anote tudo, esteja com todos os materiais necessários, faça resumos e exercícios práticos enquanto estuda, se empenhe e, se for preciso, grave a matéria no celular. Além disso, deixe outras preocupações, planos e pensamentos para outro momento. Pense como toda a atenção e esforço dedicado ao aprendizado compensará futuramente”, aconselha.

Além disso, os editais dos vestibulares são um bom recurso para saber o que vai cair na prova. “Minha dica é: leia sempre o edital de um vestibular. Lá você saberá, literalmente, tudo o que vai cair na prova e, assim, poderá se preparar para o exame, estudando de maneira assertiva e efetiva”, comenta o professor.

Acompanhe seu rendimento

Quando se estuda online, ainda que o aluno passe horas e horas em frente ao computador, de nada adianta se ele não acompanhar o seu rendimento e verificar se, de fato, aprendeu ou não o que está estudando.

“Você precisa progredir enquanto estuda. Do contrário, estará perdendo tempo. Reveja o conteúdo, refaça os exercícios se for necessário, leia muito e pesquise sobre o assunto, aplicando também na prática o que aprendeu na teoria . E procure verificar sempre sua evolução”, ensina o professor Ferretto.

Planeje uma recompensa

Além de todas as dicas anteriores, o professor Michel ainda dá mais uma ideia, válida como um “bônus” para o estudante: Segundo ele, recompensar a si mesmo por cada objetivo atingido nos estudos pode ser um poderoso motivador.

“Recompensas simples, terminar os estudos 15 minutos antes ou mesmo uma checada rápida nas redes sociais – ou seja, fatores que costumam atrapalhar os estudos – podem se tornar uma motivação para que você siga em frente”, finaliza.

Continue lendo