Ataques cibernéticos ampliam perspectivas para uma nova profissão

Ataques cibernéticos ampliam perspectivas para uma nova profissão

Crimes no mundo virtual crescem vertiginosamente e com eles, um novo mercado ganha força: o de profissionais para ampliar a segurança de dados.

Publicado em 20/09/17

Há pouco tempo, o mundo foi tomado de surpresa com a notícia de um sequestro inusitado: o de dados. Em maio deste ano, o vírus Wanna Cry se espalhou por 150 países, incluindo o Brasil. Os computadores infectados tiveram todas as suas informações criptografadas e os criminosos pediram um resgate em bitcoins para liberá-las.

Os vírus do tipo "sequestrador" - como o Wanna Cry - são chamados de "ransomware" e alguns deles já vinham fazendo estragos há muito tempo. Mas este impressionou pela rapidez com que se espalhou e pela abrangência dos computadores infectados: mais de 230 mil. O crescimento vertiginoso deste tipo de ataque também salta aos olhos: o número de invasões passou de 3,8 milhões em 2015 para 638 milhões em 2016. É uma das ameaças mais assustadoras no mundo virtual. Os ataques são orquestrados por verdadeiras organizações criminosas, que estão lucrando muito com falhas na segurança do acesso aos dados armazenados em computadores.

De acordo com a pesquisa ABI Research de 2016, a estimativa é que as perdas financeiras tenham chegado a R$ 450 bilhões no mundo todo em 2016 - R$ 4 bilhões no Brasil. No ano passado, os ataques para derrubar páginas na web aumentaram 138% em relação a 2015. Segundo o relatório anual de ameaças cibernéticas publicadas em março de 2017 pelo SonicWall Global Response Intelligence Defense (GRID), o Brasil é o segundo país mais afetado pelos ataques no mundo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos. E nenhum segmento da indústria foi poupado das tentativas de ataques dos ransomwares. Para fazer frente a todas estas ondas de ataques, a Faculdade de Tecnologia FIAP vai abrir - em 2018 - um curso de graduação em Defesa Cibernética inédito no país. "Existe uma estimativa de que 10% das vagas que foram abertas neste ano de 2017 para a área de TI foram voltadas para a área de defesa cibernética", esclarece o coordenador do curso, Humberto de Sousa. De acordo com o coordenador, existe um estudo mais aprofundado que aponta que seis milhões de vagas no mundo serão abertas para defesa cibernética até 2021.

"Formaremos profissionais altamente qualificados para atuar nos processos de gestão e planejamento de defesa cibernética, capacitados para ser a primeira linha de defesa e contra-ataque cibernético, utilizando as principais técnicas dos próprios atacantes, empregando tecnologia para proteger o espaço cibernético das organizações" afirma o coordenador Humberto de Sousa.

O curso de graduação em Defesa Cibernética da FIAP tem dois anos de duração e é oferecido nas modalidades presencial e a distância.

Vestibular FIAP 2018

Se interessou pelo curso de graduação em Defesa Cibernética? As inscrições para o Vestibular FIAP 2018 estão abertas e podem ser feitas até o dia 21 de setembro, no site: www.fiap.com.br






RECOMENDAMOS

Anhembi Morumbi FMU Universidade São Francisco Redentor Redentor Redentor ISPED UNITAU
FAGOC UNIFAN Newton Paiva SL Mandic FECAP São Camilo FAMINAS UniEvangélica UNISINOS Católica-TO

ACESSO RÁPIDO

CALENDÁRIO DO VESTIBULAR | TESTE VOCACIONAL ONLINE | SIMULADOS ONLINE | PLANO DE HORÁRIO DE ESTUDOS - PHE | DATAS DO ENEM 2017
Veja outras notícias

EM DESTAQUE NO SEJABIXO: