Siga-nos!

Dicas para o Enem

Cuidado com os Enunciados do Enem

Veja uma estratégia para lidar com os enunciados longos do Exame Nacional do Ensino Médio

Publicado

em

maior rendimento nos estudos

O Exame Nacional do Ensino Médio, geralmente, apresenta longos enunciados. Como fazer para “peneirar” as informações realmente relevantes para resolver a questão?

O ENEM me ensinou uma excelente estratégia, que eu aplico em outros tipos de provas:

1) Ler o enunciado, pelo menos, 2 vezes.

2) Grifar as passagens realmente relevantes para a resolução da questão, por exemplo, “República Velha”, no caso de enunciado sobre esse período da história do Brasil. Grifar valores numéricos também ajuda no caso de questões de Matemática e Ciências Naturais (Química e Física).

3) Grifar palavras como “Assinale a alternativa INCORRETA”, ou “Assinale a alternativa CORRETA”.

Grifar passagens importantes ajuda o cérebro a reconhecer imediatamente o que está sendo perguntado.

Texto de Ricardo Santos – Academia do Vestibular

Destaque

Reta final para ENEM 2020 exige cuidados com o emocional

Na reta final é bom focar em cuidados como o fortalecimento da inteligência emocional, para não deixar que o nervosismo atrapalhe

Publicado

em

por

Reta final para ENEM 2020 exige cuidados com o emocional

Por causa da pandemia, o Enem 2020 foi adiado e tem data marcada para 17 e 24 de janeiro de 2021 na versão impressa e 31 de janeiro e 7 de fevereiro na versão digital. E com a proximidade das provas, cresce também a ansiedade dos candidatos, já que a ideia de que o Exame Nacional do Ensino Médio ou o vestibular vai definir o rumo de suas vidas– ou até mesmo adiar os planos por mais um ano – gera grande pressão e expectativa. O momento, então, nesta reta final, é de focar em cuidados como o fortalecimento da inteligência emocional, para não deixar que o nervosismo atrapalhe.

ENEM 2020 exige cuidados com o emocional

De acordo com Jaime Cavalcante, coordenador de tecnologias educacionais do Colégio CBV, se a mente dos estudantes de Ensino Médio, com toda a pressão da despedida do ambiente escolar e entrada no ensino superior, já exige cuidados em situações normais, neste ano, marcado por tantas mudanças e incertezas por causa da pandemia, isso se torna ainda mais necessário. “A ansiedade, quando não é cuidada, pode gerar prejuízos para os jovens, diminuir a concentração e a capacidade de raciocínio, além de aumentar a dificuldade de interpretação, impactando no resultado das provas”, completa.

Mas então, o que esses estudantes podem fazer para cuidar do emocional nesta reta final? O coordenador afirma que a própria disciplina é um caminho para driblar a ansiedade. “Quando sente que está fazendo a sua parte, o aluno, no geral, fica mais calmo. Por isso, é preciso estabelecer uma sistemática de estudo e cumpri-la, respeitando sua condição individual. Cada um tem seu tempo, sua forma de estudar. É preciso traçar a sua estratégia de estudo e colocar em prática. Quando consegue atingir esse objetivo, automaticamente ele se sentirá mais confiante”, explica.

A escola e a família também podem, e devem, ajudar neste processo de cuidado com o emocional. “O jovem deve ser incentivado a encontrar maneiras de relaxar, limpar a mente em alguns momentos. Isso é muito importante, inclusive, para que consiga absorver as informações quando está estudando”, ressalta Jaime, reforçando que são várias as alternativas de relaxamento possíveis, a depender do perfil da pessoa.

“Pode ser a prática de alguma atividade física, meditação, leitura por diversão, etc. São várias as ferramentas que podem ser buscadas para limpar a mente e renovar o fôlego para administrar os estudos”, completa. O segredo está em entender que o relaxamento não tem a ver com descaso. “Não é desprezar os estudos ou ter momentos de irresponsabilidade. É cuidar da mente para ter um desempenho melhor no futuro”, diz.

É o que tem feito o estudante do 3º ano do CBV, Fábio Unizzi. Para ele, nesta reta final, o mais importante é equilibrar as horas de estudo com as sono e de lazer, para manter a cabeça funcionando bem e a ansiedade sob controle, mesmo com a pressão das provas cada vez mais próximas. “Tenho feito revisões e prática de exercícios nas minhas horas de estudo e procuro sempre fazer um exercício leve durante a manhã, pode ser corrida ou andar de bicicleta. Também tenho visto filmes, documentários e séries indicadas pelos professores, pois é uma forma mais leve de estudar”, conta.

LIV – A pandemia exigiu que estudantes e escolas se adaptassem a novos formatos de ensino e aprendizagem, nunca antes vividos. Segundo Jaime, foi preciso inovar dentro desta nova sistemática de aulas virtuais e, posteriormente, híbridas para não piorar a saturação que já é normal para os alunos do Ensino Médico e que chegam ao terceiro ano em um ritmo intenso de estudos.

“Entendendo a importância, ainda maior, do cuidado com o emocional durante a pandemia, no CBV, nós adaptamos não só o formato de aulas das disciplinas convencionais, mas também os encontros do LIV – Laboratório Inteligência de Vida, que seguiram acontecendo de forma remota, como um espaço para que os alunos conseguissem expressar seus anseios, lutos, medos e dúvidas”, explica Jaime.

De acordo com o coordenador, nas aulas do LIV o estudante é conduzido a abraçar as suas questões emocionais e a entender que não pode mudar o que sente, mas que pode aprender o que fazer com seus sentimentos, o que faz toda a diferença na hora de transformar a ansiedade em confiança.

Continue lendo

Destaque

Como é atribuída a nota de redação no Enem?

A prova de redação no Exame Nacional do Ensino Médio é um grande bicho-papão. Veja como é calculada a nota.

Publicado

em

por

Como é atribuída a nota de redação no Enem?

A prova de redação no Exame Nacional do Ensino Médio é um grande bicho-papão. Separamos algumas informações sobre o processo de correção para que você possa se familiarizar com o formato e também saber como é atribuída a nota de redação no Enem.

Como é atribuída a nota de redação no Enem?

Antes de falar da nota, é importante que você entenda o que será cobrado. O exame exigirá a produção de um texto em prosa, do tipo dissertativo-argumentativo, sobre um tema de ordem social, científica, cultural ou política.

Você deverá defender uma tese – uma opinião a respeito do tema proposto –, apoiada em argumentos consistentes, estruturados com coerência e coesão, formando uma unidade textual.

Quais são as competências avaliadas?

Dois professores avaliarão 5 competências no seu texto. São elas:

Competência 1: Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa.

Competência 2: Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa.

Competência 3: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Competência 4: Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Competência 5: Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Como são atribuídas as notas?

Cada avaliador atribuirá uma nota entre 0 e 200 pontos para cada uma das cinco competências. A soma desses pontos comporá a nota total de cada avaliador, que pode chegar a 1.000 pontos. A nota final do participante será a média aritmética das notas totais atribuídas pelos dois avaliadores.

Quer ver mais dicas?

Veja aqui a Cartilha do Participante – Redação no Enem.

Confira aqui outras informações sobre o Enem 2020.

Continue lendo

Destaque

Especial Enem 2017 – Exame Nacional do Ensino Médio

Publicado

em

por

Enem 2017 - Exame Nacional do Ensino Médio

Enem 2017 – Exame Nacional do Ensino Médio

O Exame Nacional do Ensino Médio – Enem 2017 será realizado em dois domingos consecutivos – dias 5 e 12 de novembro – e não mais em um único fim de semana. No primeiro domingo, os estudantes farão provas de ciências humanas, linguagens e redação. No segundo, as provas serão de matemática e ciências da natureza.

Inscrições para o Enem 2017

As inscrições começam às 10h do dia 8 de maio e terminam às 23h59 do dia 19 de maio, pela internet, no site do Enem – http://enem.inep.gov.br. O pagamento deve ser feito até o dia 24 de maio de 2017.

O Enem fica mais caro este ano. Para se inscrever, o candidato terá que pagar R$ 82. A nova taxa está no edital do exame, publicado no Diário Oficial da União. No ano passado, a taxa era de R$ 68.

Segudo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), a correção não só levou em conta a variação de preços pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), como incorporou variações de anos anteriores que deixaram de ser aplicadas e parte da diferença entre o custo do exame e a taxa de inscrição.

Atualmente, o Inep cobre cerca de 70% do custo do exame. No ano passado, por exemplo, o custo, de R$ 91,49 por participante, foi R$ 23,49 acima do valor pago. A autarquia diz que mesmo com a alta, o Enem está abaixo da média dos vestibulares do país, que é R$ 140.

Isenções

Pelas regras do edital estão isentos da taxa os estudantes de escolas públicas que concluirão o ensino médio em 2017, os participantes de baixa renda que integram o CadÚnico e os que se enquadram na lei 12.799/2013 que, entre outros critérios, isenta de pagamento aqueles com renda igual ou inferior a um salário mínimo e meio, ou seja, R$ 1.405,50.

O Inep informa que vai conferir todos os pedidos de isenção. Caso o candidato não se enquadre, poderá gerar o boleto e pagar a taxa para participar do Enem. Se as informações prestadas forem falsas e for constatada concessão indevida de isenção, o participante será eliminado do exame e terá que ressarcir a taxa.

A partir deste ano, o sistema de inscrição permitirá que o participante informe o Número de Identificação Social, do CadÚnico. Para que a isenção seja validada, é preciso que os dados pessoais sejam iguais aos cadastrados na base da Receita Federal.

Os participantes isentos que não comparecerem nos dois dias de prova e quiserem fazer o Enem 2018 sem pagar a taxa terão que justificar a ausência por meio de atestado médico, documento judicial ou boletim de ocorrência. Caso contrário, perderão a isenção.

Como usar a nota do Enem

Os resultados das provas poderão ser usados em processos seletivos para vagas no ensino superior público, pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para bolsas de estudo em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e para obter financiamento pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Dicas de preparação para o Enem 2017

Cllique aqui e confira alguns artigos com dicas e orientações para a prova do Exame Nacional do Ensino Médio.

Continue lendo