Dicas para aumentar as chances de aprovação no Vestibular Fuvest 2021

Para ajudar os estudantes na preparação para as provas, Vinicius de Carvalho Haidar, coordenador do Curso Poliedro, oferece dicas e recomendações importantes para a conquista de um bom desempenho no Vestibular Fuvest 2021.

Reconhecidas pelo alto grau de exigência, as provas da Fuvest 2021 acontecem nos dias 10 de janeiro (1ª Fase) e 21 e 22 de fevereiro (2ª Fase), e serão acompanhadas de algumas modificações em decorrência da pandemia.

Pela primeira vez, 50% das vagas de todos os cursos da USP (considerando a distribuição de vagas entre Fuvest e Sisu) serão destinadas aos candidatos de escolas públicas que podem não ter recebido o aparato necessário para o acompanhamento das aulas à distância e nem a preparação adequada para os vestibulares ao longo do ano. Além disso, as provas de habilidades específicas também sofreram modificações. As de artes visuais foram descartadas e as de música e artes cênicas serão realizadas virtualmente.

Dicas Fuvest 2021

Em meio a um ano atípico, de isolamento social, em que o protagonismo, a organização e o empenho dos alunos para manter o bom desempenho nos estudos foram ainda mais necessários, as tensões pré-vestibular podem ser ainda maiores, especialmente quando se fala de Fuvest, um dos vestibulares mais concorridos do País.

As provas são conteudistas e exigem concentração

A Fuvest tem como principal característica ser muito conteudista. Ao contrário do Enem, que busca avaliar a capacidade de interpretação de gráficos, enunciados e textos, a Fuvest mede o nível de conhecimento de cada matéria a partir de trechos curtos e objetivos, assim como a capacidade de concentração e leitura do estudante. Como não determina quantidade específica de questões por matéria, apesar de serem 90 questões, o peso de todas é igual. Assim, dependendo da nota de corte, que varia de acordo com cada curso, um erro pode ser fatal. É preciso estar bem preparado!

Segundo o coordenador Haidar, é uma prova que já traz questões complexas na primeira fase, capazes de desestabilizar o estudante e prejudicar na gestão do tempo. “Se o aluno trava em algum enunciado, pode não ter tempo suficiente de terminar a prova. Um ponto de atenção é que mesmo as questões aparentemente difíceis têm um jeito simplificado de resolver, que geralmente causa a sensação de pegadinhas nos alunos, o que não é o perfil da prova. Eles acham que estão fazendo algo de errado e acabam perdendo a pontuação por complicá-las além do necessário”, diz.

Na 2ª Fase, tenha clareza e seja direto nas respostas

Na 2ª Fase, a prova continua sendo direta e exige respostas concisas. O examinador quer clareza. Se em meio ao texto constarem informações complementares incorretas, o aluno pode perder pontos, mesmo que tenha acertado o que o enunciado pede.

Com relação à divisão por matérias, Matemática tem poucos enunciados, bem objetivos. Física e Química contextualizam um pouco mais as questões e tentam trazer temas da atualidade para a discussão. Geografia cobra conhecimentos mais específicos e atuais e é uma das provas mais difíceis da segunda fase. Já as questões de Português não são tão complexas, sendo que parte delas exige a leitura e compreensão das obras obrigatórias.

Esteja preparado para a Redação

A Redação da Fuvest é considerada a mais difícil e exigente entre todos os vestibulares. A nota tem grande peso, equivalente a 40% da nota final do candidato. A grade de correção é rigorosa e poucos alunos alcançam a pontuação máxima. O texto, em formato dissertativo-argumentativo, requer a defesa de um lado. Não fique em cima do muro, pois isso pode levar à anulação do texto.

A correção é feita em três blocos:

• Adequação ao tema e desenvolvimento argumentativo.

• Estrutura, coesão e coerência.

• Estruturação sintática e tipo de linguagem utilizada no texto (aspectos gramaticais são avaliados rigorosamente).

Não encare as perguntas como pegadinhas

Segundo Haidar, o aluno bem preparado pode ter problemas com a falta ou o excesso de atenção aos detalhes. “Às vezes, o estudante sabe tão bem a matéria que quando lê uma questão tende a complicá-la. Questões fáceis são vistas como pegadinhas e isso pode induzir ao erro. Por outro lado, quando acha a questão muito fácil e deixa de se ater aos detalhes, também pode acabar errando a questão”, afirma o coordenador. Para evitar correr riscos, uma recomendação é ler atentamente os enunciados, grifando-os e anotando todos os seus comandos.

Estabeleça um plano de estudos e não atropele matérias

Organize suas atividades extracurriculares, selecione horários de estudo para cada uma das matérias e dedique-se mais àquelas nas quais você tem dificuldade. Estudar com base em versões anteriores da prova também pode ser um bom método. O recomendado é que faça suas revisões um mês antes do vestibular, assim, garante que já viu todo o conteúdo em sala de aula e pode ter melhor desempenho. O ideal é que sigam o cronograma ministrado pelo professor semanalmente sem deixar acumular matérias.

Esteja psicologicamente preparado

Conversar com os amigos e com profissionais de orientação educacional pode ajudar bastante, assim como praticar atividades físicas. Organize sua agenda incluindo alguma delas de forma regular. Os momentos de descontração devem estar presentes na sua vida também! Na véspera da prova, confie no estudo e nas estratégias desenvolvidas ao longo do ano. Pense positivo para reduzir a ansiedade, passe o dia com as pessoas de quem gosta e tenha uma boa noite de sono.

No dia da prova, crie uma estratégia que o ajude a obter pontos

Administre o tempo de forma a garantir que fará todas as questões. Procure separar os itens em fáceis, médios e difíceis, de acordo com seus conhecimentos, e vá resolvendo as questões a partir das mais simples. Ao se deparar com uma questão que não consegue resolver, deixe para respondê-la no final, quando as questões que você sabe já estiverem garantidas. Lembre-se de que precisa separar tempo para preencher o gabarito.

Não se esqueça dos itens essenciais para a realização da prova

Separe com antecedência o documento de identidade, item obrigatório em todas as provas, a caneta esferográfica azul, lápis, borracha e régua. Na segunda fase, materiais especiais como compasso, transferidor e esquadro podem ser requisitados. Nesta edição da prova, os candidatos deverão usar máscara, que somente deverá ser retirada para a realização do procedimento de reconhecimento facial.

Estudo do Sistema de Ensino Poliedro mostra temas recorrentes na Fuvest

Para auxiliar os alunos na preparação para os grandes vestibulares do País, o Sistema de Ensino Poliedro desenvolve anualmente os Cadernos de Revisão, materiais elaborados a partir de estudos sobre os últimos vestibulares e que ajudam os estudantes das unidades sedes e escolas parceiras do Poliedro a entenderem as alterações sofridas pelas provas ao longo dos anos.

Confira a seguir uma lista com os três temas mais recorrentes por matéria no vestibular da Fuvest:

Tags:, ,