Simulado Online de História – Vestibular Fuvest 2009 – 112 

Testes seus conhecimentos com mais 5 questões de história, retiradas da FUVEST 2009

1- (FUVEST / 2009) “Da armada dependem as colônias, das colônias depende o comércio, do comércio, a capacidade de um Estado manter exércitos numerosos, aumentar a sua população e tornar possíveis as mais gloriosas e úteis empresas.”

Essa afirmação do duque de Choiseul (1719-1785) expressa bem a natureza e o caráter do

  1. liberalismo.
  2. feudalismo.
  3. mercantilismo.
  4. escravismo.
  5. corporativismo.

2- (FUVEST / 2009) A criação, em território brasileiro, de gado e de muares (mulas e burros), na época da colonização portuguesa, caracterizou-se por

  1. ser independente das demais atividades econômicas voltadas para a exportação.
  2. ser responsável pelo surgimento de uma nova classe de proprietários que se opunham à escravidão.
  3. ter estimulado a exportação de carne para a metrópole e a importação de escravos africanos.
  4. ter-se desenvolvido, em função do mercado interno, em diferentes áreas no interior da colônia.
  5. ter realizado os projetos da Coroa portuguesa para intensificar o povoamento do interior da colônia.

3- (FUVEST / 2009) “A Idade Média européia é inseparável da civilização islâmica já que consiste precisamente na convivência, ao mesmo tempo positiva e negativa, do cristianismo e do islamismo, sobre uma área comum impregnada pela cultura greco-romana.”
José Ortega y Gasset (1883-1955).

O texto acima permite afirmar que, na Europa ocidental medieval,

  1. formou-se uma civilização complementar à islâmica, pois ambas tiveram um mesmo ponto de partida.
  2. originou-se uma civilização menos complexa que a islâmica devido à predominância da cultura germânica.
  3. desenvolveu-se uma civilização que se beneficiou tanto da herança greco-romana quanto da islâmica.
  4. cristalizou-se uma civilização marcada pela flexibilidade religiosa e tolerância cultural.
  5. criou-se uma civilização sem dinamismo, em virtude de sua dependência de Bizâncio e do Islão.

4- (FUVEST / 2009) “Nossas instituições vacilam, o cidadão vive receoso, assustado; o governo consome o tempo em vãs recomendações… O vulcão da anarquia ameaça devorar o Império: aplicai a tempo o remédio.”
Padre Antonio Feijó, em 1836.

Essa reflexão pode ser explicada como uma reação à

  1. revogação da Constituição de 1824, que fornecia os instrumentos adequados à manutenção da ordem.
  2. intervenção armada brasileira na Argentina, que causou grandes distúrbios nas fronteiras.
  3. disputa pelo poder entre São Paulo, centro econômico importante, e Rio de Janeiro, sede do governo.
  4. crise decorrente do declínio da produção cafeeira, que produziu descontentamento entre proprietários rurais.
  5. eclosão de rebeliões regionais, entre elas, a Cabanagem no Pará e a Farroupilha no sul do país.

5- (FUVEST / 2009) A imigração de italianos (desde o final do século XIX) e a de japoneses (desde o início do século XX), no Brasil, estão associadas a

  1. uma política nacional de atração de mão-de-obra para a lavoura e às transformações sociais provocadas pelo capitalismo na Itália e no Japão.
  2. interesses geopolíticos do governo brasileiro e às crises industrial e política pelas quais passavam a Itália e o Japão.
  3. uma demanda de mão-de-obra para a indústria e às pressões políticas dos fazendeiros do sudeste do país.
  4. uma política nacional de fomento demográfico e a um acordo com a Itália e o Japão para exportação de matérias-primas.
  5. acordos internacionais que proibiram o tráfico de escravos e à política interna de embranquecimento da população brasileira.